Nem tudo é eletricidade: a BMW também aposta no hidrogénio

Como alternativa aos veículos eletrificados, a BMW já está a testar o iX5 Hydrogen, o SUV que utiliza este elemento como combustível e que procura fazer as pessoas falarem.

Embora a indústria automobilística pareça ter escolhido a eletricidade para deixar o petróleo para trás, alguns terminais buscam caminhos diferentes, e BMW é um deles com hidrogênio iX5.

Assim, a tecnologia de células de combustível a hidrogênio surge com uma série de cerca de 100 unidades deste SUV a serem testadas abertamente.

O objetivo é que o público conheça os benefícios e as potencialidades do hidrogênio iX5 após quatro anos de desenvolvimento pela casa bávara.

Seus primórdios foram estabelecidos com um BMW x5 convencional para o qual o piso foi modificado para colocar dois tanques de hidrogênio que suportam 7,25 kg. Eles são responsáveis ​​por fornecer a célula de combustível para dar partida no motor e na bateria.

O poder de hidrogênio iX5 Tem cerca de 401 cavalos de potência e atinge uma autonomia de 504 quilómetros, de acordo com o ciclo WLTP.

Mas além disso, o principal benefício que apresenta em relação aos veículos elétricos é o abastecimento.

Esta ação é semelhante aos carros a gasolina tradicionais, pois o enchimento dos tanques leva tempo para o hidrogênio iX5 3 a 4 minutos, algo que não acontece com veículos elétricos ou utilizando o modo de carregamento rápido.

Poucas marcas foram incentivadas a desenvolver essa tecnologia, uma delas é a japonesa Toyota que fez o mesmo com seu produto Mirai.

A entrada Nem tudo é eletricidade: a BMW também está comprometida com o hidrogênio foi publicada pela primeira vez em Driving.com.

Similar Posts